monitoramento Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Sintomas
Início do conteúdo da página

Saiba reconhecer os sintomas

SINTOMAS DENGUE
SINTOMAS-ZIKA
SINTOMAS-CHIKUNGUNYA

Ao apresentar os sintomas, é importante procurar um serviço de saúde e
não tomar medicamentos por conta própria. Dor abdominal intensa e vômitos persistentes são sinais de alarme na dengue. Fique atento!

 

Últimas notícias

Ministro Ricardo Barros convoca população para semana de mobilização

O Governo Federal promoverá de 23 a 27 de outubro a Semana Nacional de Mobilização dos setores da Educação, Assistência Social e Saúde para o combate ao Aedes aegypti. Mais de 210 mil unidades públicas e privadas de todo o Brasil estão sendo mobilizadas pela Sala Nacional de Coordenação e Controle, que reúne os ministérios da Saúde, da Integração, da Defesa, do Desenvolvimento Social e da Educação, a Casa Civil e a Secretaria de Governo da Presidência da República, além de outros órgãos convidados. O objetivo é que durante esta semana a população seja alertada sobre a importância de combater mosquito transmissor de doenças como dengue, zika e chikungunya, já antes do verão, período do ano quando acontece o maior volume de chuvas, o que facilita reprodução do aedes aegypti. Ao todo serão mobilizadas 146.065 escolas da rede básica, 11.103 centros de assistência social e 53.356 unidades de saúde. Confira o recado do ministro Ricardo Barros: SERVIÇO Semana de Mobilização das Unidades de Saúde, Cras e escola para o Combate ao Aedes Dias: 23 a 27 de outubro Locais: Redes de saúde, educação e assistência social de todo o país Por Fernanda de Lima, da Agência Saúde Atendimento à imprensa (61) 3315-3434 

  • 23/10/17
  • 2017h01

Governo Federal convoca postos de saúde, de assistência social e escolas para combater o mosquito antes do verão

Ação acontecerá de 23 a 27 de outubro e tem o objetivo de mobilizar a sociedade sobre a importância de eliminar possíveis focos do mosquito antes do período mais chuvoso do ano O Governo Federal promoverá de 23 a 27 de outubro a Semana Nacional de Mobilização dos setores da Educação, Assistência Social e Saúde para o combate ao Aedes aegypti. Mais de 210 mil unidades públicas e privadas de todo o Brasil estão sendo mobilizadas pela Sala Nacional de Coordenação e Controle, que reúne os ministérios da Saúde, da Integração, da Defesa, do Desenvolvimento Social e da Educação, a Casa Civil e a Secretaria de Governo da Presidência da República, além de outros órgãos convidados. O objetivo é que durante esta semana a população seja alertada sobre a importância de combater mosquito transmissor de doenças como dengue, zika e chikungunya, já antes do verão, período do ano quando acontece o maior volume de chuvas, o que facilita reprodução do aedes aegypti. Ao todo serão mobilizadas 146.065 escolas da rede básica, 11.103 centros de assistência social e 53.356 unidades de saúde. “Não podemos baixar a vigilância. É melhor cuidar do foco do mosquito do que sofrer as consequências de não ter feito essa iniciativa. Vamos reforçar, ainda mais, a necessidade de eliminar os criadouros, convocando toda a sociedade para esse trabalho já antes do verão, quando começam as chuvas”, aconselhou o ministro da Saúde, Ricardo Barros.       Estados e municípios tem autonomia para definir quais ações serão realizadas para mobilizar as áreas, mas a orientação da Sala Nacional é que sejam realizadas atividades que envolvam a prevenção e o combate do Aedes, como mutirões de limpeza, distribuição de materiais informativos, realização de rodas de conversas educativas, oficinas, teatros e gincanas. “Campanhas como essa são essenciais para combater o mosquito, porque estimulam a participação da população. A comunidade precisa ter consciência e participar de ações de prevenção a essas doenças. Precisamos estar unidos para vencer essa batalha”, ressalta o ministro da Saúde, Ricardo Barros. Ainda para aproveitar o momento de mobilização, a Sala Nacional também indicou aos gestores que fossem inseridas equipes nas unidades de ensino para confeccionar Cartões Nacionais de Saúde aos estudantes que não possuem cadastro no Sistema Único de Saúde (SUS). SALA NACIONAL – Instalada para o enfrentamento à Microcefalia, desde o final de 2015, a Sala Nacional de Coordenação e Controle é coordenada pelo Ministério da Saúde e tem como objetivos gerenciar e monitorar a intensificação das ações de mobilização e combate ao mosquito Aedes aegypti. Uma das ações realizadas em conjunto com estados e municípios é a realização de visitas aos imóveis com objetivo vistoriar e eliminar possíveis focos do aedes Aegypti, além de orientar a população sobre prevenção e combate ao mosquito. No primeiro semestre deste ano, foram vistoriados mais de 151,8 milhões de domicílios particulares e coletivos, estabelecimentos de ensino, estabelecimentos de saúde, estabelecimento de outras finalidades e edificação em construção no país. DADOS - As doenças transmitidas pelo Aedes aegypti têm tido queda expressiva em todo Brasil. De acordo com o Boletim Epidemiológico, até o dia dois (2) de setembro deste ano, foram notificados 219.040 casos prováveis de dengue em todo o país, uma redução de 85,2% em relação ao mesmo período de 2016 (1.483.623). O mesmo estudo mostrou que foram registradas 171.930 notificações de casos prováveis de febre chikungunya. A redução é de 34,2% comparado ao ano anterior, que atingiu o número de 261.645 casos. Em relação ao Zika, os casos caíram 92,6%. Foram registrados 15.586 casos prováveis em todo país, enquanto em 2016, o Brasil registrou 211.487 notificações. A incidência reduziu 92,5%, passando de 102,6 em 2016 para 7,6 neste ano. SERVIÇO Semana de Mobilização das Unidades de Saúde, Cras e escola para o Combate ao AedesDias: 23 a 27 de outubroLocais: Redes de saúde, educação e assistência social de todo o país Por Fernanda de Lima, da Agência SaúdeAtendimento à imprensa(61) 3315-3434 

  • 19/10/17
  • 2017h56

Sala Nacional passa a funcionar no Ministério da Saúde

Estrutura interministerial dedicada ao enfrentamento ao Aedes aegypti ficará no Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde, na sobreloja do edifício sede da Saúde, em Brasília. A partir desta sexta-feira (1/9), a Sala Nacional de Coordenação e Controle para o enfrentamento ao Aedes aegypti e suas consequências deixa oficialmente o Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (CENAD), estrutura do Ministério da Integração, para ocupar o Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS), do Ministério da Saúde. A sala do CIEVS já recebeu a equipe da SNCC na última rodada de videoconferências com as 27 salas estaduais no começo do mês. Presente na ocasião, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, reforçou o combate ao mosquito como uma prioridade de governo e assegurou a continuidade das medidas de prevenção. Com o objetivo de gerenciar e monitorar as iniciativas de mobilização e combate ao mosquito em todo o país, a Sala Nacional é composta pelos ministérios da Saúde, Integração, Educação, Defesa, Desenvolvimento Social, Meio Ambiente, Cidades, além da Casa Civil e da Secretaria de Governo. Também conta com a participação do Conselho Nacional das Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS), do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS) e outros órgãos de governo convidados. AÇÕES INTERSETORIAIS – Ao longo do segundo semestre de 2017, ademais das atividades de monitoramento dos ciclos de visitas a imóveis urbanos e de rotina para o controle vetorial, a SNCC atua em várias frentes. Em outubro, ela mobiliza as redes da Saúde, Educação e Assistência durante a Semana Nacional de Combate. Em novembro, lança o dia D, com a nova campanha de combate ao mosquito do Governo Federal. De modo contínuo, leilões de carros apreendidos, campanhas de coleta de pneus, mutirões de limpeza, ações nas datas comemorativas e a Sexta sem Mosquito são igualmente estimulados. O tema também será pautado nos seminários interfederativos, propostos pela Secretaria de Governo, e nos fóruns, capacitações e reuniões de Secretários e Coordenadores Estaduais de Proteção e Defesa Civil. DENGUE, ZIKA E CHIKUNGUNYA – As diversas medidas adotadas pelo Governo Federal, voltadas para a eliminação do mosquito, resultaram na queda significativa nos casos de dengue, Zika e chikungunya. Em 2017, até 5 de agosto, foram notificados 210.627 casos prováveis de dengue em todo o país, uma redução de 85,3% em relação ao mesmo período de 2016 (1.432.691). Quanto à Zika, foram registrados 15.039 casos em todo o país, uma redução de 92,7% em relação a 2016 (205.986 casos). Já em relação à chikungunya, foram registrados 163.135 casos, o que representa uma taxa de incidência de 79,2 casos para cada 100 mil habitantes. A redução é de 35,7% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados 253.795 casos. Contatos Sala Nacional de Coordenação e Controle - SNCC CIEVS Ministério da Saúde Edifício Sede, sobreloja Esplanada dos Ministérios – Bloco G Brasília –DF / CEP: 70058-900 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. (61) 3315 3795 Por Juliana Hack, Ministério da Saúde.

  • 06/10/17
  • 2017h36
Fim do conteúdo da página