monitoramento Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Sala Nacional passa a funcionar no Ministério da Saúde
Início do conteúdo da página

Sala Nacional passa a funcionar no Ministério da Saúde

Publicado: Sexta, 06 de Outubro de 2017, 18h36 | Última atualização em Sexta, 06 de Outubro de 2017, 18h36

Estrutura interministerial dedicada ao enfrentamento ao Aedes aegypti ficará no Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde, na sobreloja do edifício sede da Saúde, em Brasília.

A partir desta sexta-feira (1/9), a Sala Nacional de Coordenação e Controle para o enfrentamento ao Aedes aegypti e suas consequências deixa oficialmente o Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (CENAD), estrutura do Ministério da Integração, para ocupar o Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS), do Ministério da Saúde.

A sala do CIEVS já recebeu a equipe da SNCC na última rodada de videoconferências com as 27 salas estaduais no começo do mês. Presente na ocasião, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, reforçou o combate ao mosquito como uma prioridade de governo e assegurou a continuidade das medidas de prevenção.

Com o objetivo de gerenciar e monitorar as iniciativas de mobilização e combate ao mosquito em todo o país, a Sala Nacional é composta pelos ministérios da Saúde, Integração, Educação, Defesa, Desenvolvimento Social, Meio Ambiente, Cidades, além da Casa Civil e da Secretaria de Governo. Também conta com a participação do Conselho Nacional das Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS), do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS) e outros órgãos de governo convidados.

AÇÕES INTERSETORIAIS – Ao longo do segundo semestre de 2017, ademais das atividades de monitoramento dos ciclos de visitas a imóveis urbanos e de rotina para o controle vetorial, a SNCC atua em várias frentes. Em outubro, ela mobiliza as redes da Saúde, Educação e Assistência durante a Semana Nacional de Combate. Em novembro, lança o dia D, com a nova campanha de combate ao mosquito do Governo Federal.

De modo contínuo, leilões de carros apreendidos, campanhas de coleta de pneus, mutirões de limpeza, ações nas datas comemorativas e a Sexta sem Mosquito são igualmente estimulados. O tema também será pautado nos seminários interfederativos, propostos pela Secretaria de Governo, e nos fóruns, capacitações e reuniões de Secretários e Coordenadores Estaduais de Proteção e Defesa Civil.

DENGUE, ZIKA E CHIKUNGUNYA – As diversas medidas adotadas pelo Governo Federal, voltadas para a eliminação do mosquito, resultaram na queda significativa nos casos de dengue, Zika e chikungunya. Em 2017, até 5 de agosto, foram notificados 210.627 casos prováveis de dengue em todo o país, uma redução de 85,3% em relação ao mesmo período de 2016 (1.432.691). Quanto à Zika, foram registrados 15.039 casos em todo o país, uma redução de 92,7% em relação a 2016 (205.986 casos). Já em relação à chikungunya, foram registrados 163.135 casos, o que representa uma taxa de incidência de 79,2 casos para cada 100 mil habitantes. A redução é de 35,7% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados 253.795 casos.

Contatos

Sala Nacional de Coordenação e Controle - SNCC

CIEVS

Ministério da Saúde

Edifício Sede, sobreloja

Esplanada dos Ministérios – Bloco G

Brasília –DF / CEP: 70058-900

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

(61) 3315 3795

Por Juliana Hack, Ministério da Saúde.

Fim do conteúdo da página