monitoramento Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Chamada pública seleciona 71 estudos para projetos de combate ao Zika
Início do conteúdo da página

Chamada pública seleciona 71 estudos para projetos de combate ao Zika

Publicado: Terça, 08 de Novembro de 2016, 13h23 | Última atualização em Terça, 20 de Dezembro de 2016, 18h47

Edital interministerial investirá R$ 65 milhões em pesquisas de nove linhas temáticas

O Governo Federal divulgou a relação dos 71 projetos de pesquisas sobre prevenção, diagnóstico e tratamento do vírus Zika e doenças correlacionadas, selecionados na chamada pública interministerial no valor de R$ 65 milhões, lançada no primeiro semestre de 2016. Os projetos estão divididos em nove linhas temáticas, sendo “Epidemiologia e Vigilância em Saúde” a mais contemplada, com 22 seleções.

O objetivo do Governo Federal é usar os resultados das pesquisas para o enfrentamento da Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (ESPIN) declarada em função da alteração do padrão de ocorrência de microcefalia no Brasil, decorrente da infecção pelo vírus Zika.

Ministério da Saúde aposta em novas tecnologias de combate ao vetor

Confira lista de projetos selecionados

A chamada pública faz parte das ações do Eixo de Desenvolvimento Tecnológico, Educação e Pesquisa do Plano Nacional de Enfrentamento ao Aedes aegypti e à Microcefalia, lançado pelo Governo Federal em dezembro de 2015. Do total, R$ 20 milhões fazem parte do orçamento do Ministério da Saúde, R$ 15 milhões do Ministério Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTI) e R$ 30 milhões do Ministério da Educação (MEC).

Seminário Marco Zero
Entre 30 de novembro e 2 de dezembro, será realizado o seminário Marco Zero. No encontro, coordenadores dos projetos contemplados na chamada, especialistas membros dos comitês Julgador e de Relevância Social da chamada, além de técnicos e gestores dos três ministérios envolvidos se reunirão para discutir aspectos relacionados à execução dos projetos, de acordo com as necessidades do Sistema Único de Saúde (SUS). Além disso, o encontro vai contribuir para a interação entre pesquisadores, abrindo a possibilidade de cooperações que permitam achados e resultados mais robustos.

A chamada pública recebeu 530 projetos de pesquisa para as nove linhas temáticas. As propostas passaram por cinco etapas de análises por especialistas e consultores do Capes, CNPq e do Departamento de Ciência e Tecnologia e da Secretaria de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde. O prazo para execução dos projetos é de, no máximo, 48 meses.

Número de projetos aprovados por linhas temáticas

– Desenvolvimento de novas tecnologias diagnósticas: 6
– Desenvolvimento e avaliação de repelentes: 1
– Desenvolvimento e avaliação de estratégias para controle de vetores em seus vários estágios de desenvolvimento: 7
– Desenvolvimento de imunobiológicos: 3
– Desenvolvimento de tecnologias sociais e inovação em educação ambiental e sanitária: 2
– Inovação em gestão de serviços de saúde, de saneamento e de políticas públicas: 2
– Imunologia e virologia: 17
– Epidemiologia e vigilância em saúde: 22
– Fisiopatologia e clínica: 9

Por Carlos Américo, da Agência Saúde

Fim do conteúdo da página