monitoramento Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Informações sobre o Boletim Epidemiológico de Microcefalia
Início do conteúdo da página
NOTA À IMPRENSA

Informações sobre o Boletim Epidemiológico de Microcefalia

Publicado: Terça, 01 de Março de 2016, 15h14 | Última atualização em Terça, 08 de Março de 2016, 12h56

O Ministério da Saúde vem mantendo uma relação de transparência com a população brasileira e organismos internacionais sobre a situação do vírus Zika, a sua consequente epidemia de microcefalia e as medidas tomadas pelo poder público;

O Ministério da Saúde vem mantendo uma relação de transparência com a população brasileira e organismos internacionais sobre a situação do vírus Zika, a sua consequente epidemia de microcefalia e as medidas tomadas pelo poder público;

Desde o dia 17 de novembro, o Ministério da Saúde publica um boletim epidemiológico semanal relacionado à microcefalia. O documento é composto pelos informes enviados pelas secretarias estaduais de saúde até as segundas-feiras  e consolidados em reunião do COES (Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública sobre Microcefalia), às terças-feiras. Os dados são referentes à semana epidemiológica anterior, encerrada aos sábados;

As informações divulgadas após a reunião do COES reproduzem com fidelidade os casos notificados, descartados, investigados e confirmados pelos informes dos estados;

O Ministério da Saúde lamenta que o “Jornal GloboNews Edição das 16h”, desta segunda-feira (29), tenha classificado como “Falso” as informações do  grupo de especialistas e os dados encaminhados pelos estados, contidos nas falas públicas do ministro da Saúde;

Nos links abaixo, é possível conferir que cada um dos exemplos de estados utilizados pelo programa têm um informe estadual e sua correspondente notificação no boletim epidemiológico. As informações são compatíveis com os informes estaduais e sua consolidação pelo COES, não havendo divergência, conforme afirma o programa;

O Ministério da Saúde considera importante o trabalho da imprensa, com seus questionamentos e críticas. Quando feito de maneira adequada, contribui para o controle social e correção das ações do poder público;

A indução ao erro e o reforço aos boatos, em uma situação de emergência nacional em saúde pública, no entanto, traz insegurança e confunde a população.

Para obter mais informações, acesse www.combateaedes.saude.gov.br

Dados enviados pela Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo

Dados enviados pela Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro

Dados enviados pela Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais

Dados enviados pela Secretaria Estadual de Saúde de Espírito Santo

Dados enviados pela Secretaria Estadual de Saúde de Pará

Dados enviados pela Secretaria Estadual de Saúde de Alagoas

Dados enviados pela Secretaria Estadual de Saúde de Sergipe

Informe epidemiológico Nº 14 - publicado no dia 23 de fevereiro de 2016

Fim do conteúdo da página