monitoramento Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > linha do tempo
Início do conteúdo da página

Linha do Tempo

Publicado: Sexta, 12 de Fevereiro de 2016, 17h22 | Última atualização em Segunda, 03 de Julho de 2017, 20h03

Desde que recebeu a notificação de um número atípico de bebês com microcefalia no estado de Pernambuco, o Ministério da Saúde tem concentrado esforços nas investigações dos casos. Da notificação até hoje, várias ações já foram realizadas, inclusive a confirmação da relação entre os casos de microcefalia e a infecção do Zika Vírus durante a gestação. O Ministério atua de forma integrada com as secretarias estaduais e municipais de saúde e conta com o apoio de instituições nacionais e internacionais.

Confira a linha do tempo com as ações do Governo Federal:

 

  • 11Maio

    Ministério da Saúde declara fim da Emergência Nacional para Zika e microcefalia

    A decisão, informada à Organização Mundial da Saúde (OMS) por meio de nova avaliação de risco, ocorre 18 meses após a decretação de emergência, em um momento de queda nos casos de Zika e microcefalia em todo o país. O conjunto de ações voltadas à eliminação do mosquito Aedes aegypti implantadas pelo Governo Federal, contribuiu - juntamente com a mobilização da população - para a diminuição dos casos. Ações de enfrentamento ao mosquito Aedes Aegypti e a assistência às crianças e mães serão mantidas,

  • 3Abril

    Semana na Escola mobiliza alunos no combate ao Aedes

    As escolas da rede pública de ensino realizam a Semana Saúde na Escola contra o Aedes aegypti. O foco é envolver os estudantes em atividades para identificar e eliminar os criadouros do mosquito transmissor da dengue, chikungunya e vírus da Zika. As ações foram realizadas de forma articulada entre as equipes da atenção básica e profissionais da educação. Mais de 140 mil estudantes, em 78 mil escolas de 5.570 municípios do país, foram envolvidos nas ações de prevenção e combate ao mosquito.

  • 30Março

    Ministério da Saúde destina R$ 135,2 milhões para reabilitação e pesquisas

    Recursos permitiram abertura de novos serviços de assistência às crianças com a microcefalia e possibilitarão estudos relacionados às três doenças: dengue, Zika e chikungunya. Para ampliar a assistência, foram destinados R$ 125,2 milhões à habilitação de Centros Especializados em Reabilitação (CER) e novas equipes de Núcleos de Apoio de Saúde da Família. Para elaboração de pesquisas sobre doenças causadas pelo mosquito, foram alocados R$ 10 milhões. Deste total, R$ 6 milhões serão para criação de um banco nacional de amostras biológicas, relacionados às doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, como sangue, urina e saliva.

  • 21Novembro

    Ministério da Saúde lança edital do pregão para a compra de repelentes

    484 mil gestantes beneficiárias do programa Bolsa Família receberão do governo Federal repelentes para se proteger contra doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. O edital do pregão eletrônico para compra de repelentes foi publicado no dia 21 de novembro. A abertura do pregão que definirá a empresa fornecedora do produto ao Ministério da Saúde está prevista para 1º de dezembro.

  • 18Novembro

    Saúde amplia acesso a diagnóstico e a assistência de gestantes e bebês

    Ministério da Saúde atualiza protocolos de vigilância e assistência e diretrizes de estimulação precoce. Dentre as alterações estão a recomendação às grávidas de duas ultrassonografias no pré-natal e o acompanhamento das crianças até os três anos. Além disso, a microcefalia deixa de ser o único critério para diagnóstico das alterações decorrentes do Zika. Os repasses federais para esse atendimento serão de R$ 52,6 milhões por ano. As medidas atendem às recentes evidências científicas sobre os efeitos do Zika na formação do bebê durante a gestação.

  • 03Novembro

    Toda sexta-feira será o dia de combate ao Aedes aegypti

    Governo Federal envolve oito ministérios e a Casa Civil nas estratégias de prevenção às doenças transmitidas pelo mosquito. Uma das propostas é mobilizar a população semanalmente. Entre outras ações que já estão previstas destacam-se uma mobilização das escolas, leilão de carros apreendidos pela Polícia Rodoviária Federal e pelo DETRAN e que servem de focos do mosquito e a participação das Forças Armadas na conscientização da população e eliminação dos criadouros do Aedes aegypti.

  • 25Outubro

    Ministério da Saúde vai distribuir teste rápido de Zika

    O Ministério da Saúde vai distribuir 3,5 milhões de teste rápido de Zika, até fevereiro de 2017. Com a tecnologia, em 20 minutos será possível saber se a pessoa está ou já foi infectada pelo vírus em algum momento da vida. Gestantes e crianças serão priorizadas para a realização do teste.

  • 17Outubro

    Ministério da Saúde prioriza programas de residência relacionados a doenças transmitidas pelo Aedes aegypti

    Programa Pro-Residência abriu 1 mil novas vagas de residência. A novidade é a priorização de propostas de programas de residência que considerem as necessidades do Sistema Único de Saúde (SUS) para responder demandas decorrentes da “tríplice epidemia” – Zika, dengue e chikungunya – e do cuidado às pessoas com microcefalia. Na análise das propostas, os programas de residência em regiões com maior concentração de casos da doença, segundo dados estatísticos referenciais, terão prioridade.

  • 24Agosto

    Governo debate desafios e lições do combate ao Aedes aegypti

    Sala Nacional de Coordenação e Controle reuniu representantes dos governos Federal, estaduais e municipais para avaliar ações desenvolvidas no combate ao mosquito Aedes aegypti. Participantes alertam que as ações de combate não podem ser interrompidas, independente do período do ano.

  • 21Julho

    Ministério acompanha pesquisa sobre mosquito Culex

    Ministério da Saúde informa que há necessidade de novas pesquisas para esclarecer a relação entre o vírus Zika e o mosquito culex, conhecido popularmente como pernilongo ou muriçoca. A pasta acompanha os trabalhos de pesquisadores que investigam fatores que possam estar associados ao vírus Zika.

  • 14Julho

    Famílias com casos de microcefalia terão prioridade no Minha Casa, Minha Vida

    O Ministério das Cidades dispensa o sorteio para candidatos ao programa Minha Casa, Minha Vida que possuam membro da família com microcefalia. Essas famílias deverão procurar a prefeitura de seu município para esclarecimento e demais providências para o recebimento da unidade habitacional.

  • 28Junho

    Lei permite entrada forçada em imóveis contra o Aedes

    A medida deve ser adotada apenas em situações excepcionais e visa permitir a execução das ações de controle ao mosquito e criadouros. A entrada forçada em imóveis deve ser feita por profissional devidamente identificado, em áreas com potenciais focos de mosquitos transmissores. Além disso, para ficar comprovada a ausência de uma pessoa que possa autorizar a vistoria, é necessário que o agente realize duas notificações prévias, em dias e horários alternados e marcados, num intervalo de dez dias. Essas ações anteriores devem ser devidamente registradas em relatório.

  • 21Junho

    Brasil e EUA realizam estudo com grávidas em países com Zika

    Estudo internacional vai avaliar os riscos que o vírus Zika pode gerar para a saúde de gestantes e dos fetos. A análise será conduzida pelo Ministério da Saúde do Brasil, por meio da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em parceria com a agência governamental do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos. Ao todo, 10 mil mulheres grávidas serão acompanhadas em diversos países onde há circulação do vírus, sendo quatro mil brasileiras. O trabalho já teve início em Porto Rico, no Caribe, e no Brasil começará em julho e agosto.

  • 14Junho

    OMS reafirma segurança para Jogos Olímpicos

    A Organização Mundial da Saúde (OMS) ressaltou que é muito baixo o risco de propagação internacional do vírus Zika como resultado dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos no Brasil. Em reunião, membros do Comitê de Emergência para Zika reafirmaram que durante as competições o país estará no período do inverno, quando histórica e epidemiologicamente os índices das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti estão em declínio e atingem seu menor índice.

  • 13Junho

    Teste rápido de Zika

    O teste rápido para diagnosticar o vírus Zika desenvolvido pela BahiaFarma passará por avaliação de qualidade, para análise sobre possível incorporação no Sistema Único de Saúde (SUS). O teste da Fundação Baiana de Pesquisa Científica e Desenvolvimento Tecnológico (BahiaFarma),  permite identificar anticorpos na corrente sanguínea (técnica IgM) e também consegue verificar se a pessoa já teve infecção pelo Zika em algum momento da vida (técnica IgG).

  • 10Junho

    Casos de Zika caem 87%

    Os índices dos casos do vírus Zika apresentaram declínio e caíram 87% no comparativo entre fevereiro e maio de 2016. O pico de maior incidência de notificações da doença foi registrado na terceira semana de fevereiro, com 16.059 casos. Na primeira semana de maio, os registros despencaram para 2.053. Os números reforçam, mais uma vez, os resultados das ações de enfrentamento ao mosquito Aedes aegypti, além de demonstrar um comportamento diferente do habitual neste ano.

  • 06Junho

    Diagnóstico de microcefalia

    O Ministério da Saúde prorrogou por mais 60 dias a estratégia de busca ativa e de conclusão do diagnóstico de todos os bebês com suspeita de microcefalia. Desde o lançamento, em março, o número de definições de caso aumentou 136%. Os diagnósticos concluídos passaram de 1.927 para 4.561. Antes, havia 745 casos confirmados com microcefalia e 1.182 descartados. Agora, são 1.489 que tem diagnóstico positivo da malformação e 3.072 descartados.

  • 02Junho

    R$ 65 milhões para pesquisas

    O Governo Federal lançou edital de R$ 65 milhões para financiar pesquisas que contribuam na prevenção, diagnóstico e tratamento de infecções causadas pelo vírus Zika e doenças correlacionadas. Do montante total, R$ 20 milhões faz parte do orçamento do Ministério da Saúde, R$ 15 milhões do Ministério Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTI) e R$ 30 milhões do Ministério da educação (MEC). Os projetos serão financiados dentro de três faixas de recursos: até R$ 500 mi, de R$ 500 mil até R$ 1,5 milhão e de R$ 1,5 milhão até R$ 2,5 milhões.

  • 27Maio

    Combate nas fronteiras

    Brasil e Colômbia fazem parceria para combater o Aedes aegypti. Dois municípios que estão localizados na região de fronteira entre Brasil e Colômbia, Tabatinga e Leticia, terão Sala Binacional de Coordenação e Controle ao Aedes. A ação conjunta permitirá que os dois municípios compartilhem informações epidemiológicas e realizem estratégias comuns de enfrentamento ao mosquito. A Sala terá apoio técnico da Sala Nacional de Coordenação e Controle (SNCC).

  • 24Maio

    Fiocruz identifica mosquitos infectados pelo vírus Zika

    A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), órgão vinculado ao Ministério da Saúde, encontrou, pela primeira vez no Brasil, mosquitos Aedes aegypti naturalmente infectados com o vírus Zika. A descoberta da presença do vírus no mosquito reforça que o Aedes aegypti deve ser a via de transmissão mais frequente do Zika no Brasil. Os dados sobre o achado estão em fase de publicação.

  • 23 e 24Maio

    Brasil apresenta ao COI e à OMS ações de combate ao Aedes

    Ministro da Saúde, Ricardo Barros, apresenta à Organização Mundial da Saúde (OMS) e ao Comitê Olímpico Internacional (COI) as ações de combate ao Aedes aegypti desenvolvidas no Brasil. Com base nos casos prováveis de dengue no ano de 2015, o ministro esclareceu que o período de realização dos jogos é de baixa atividade do mosquito. Portanto, baixo risco de transmissão das doenças transmitidas pelo vetor.

  • 23Maio

    Jogo reforça importância de combater o mosquito

    Um aquaplay  gigante é usado para mostrar à população a importância de combater o mosquito Aedes aegypti. Todas as capitais da região Nordeste recebem o jogo gigante #ZikaZero entre os meses de maio e junho. 

  • 21Maio

    Vacina para Zika estará disponível para testes em novembro

    Diretor do Instituto Evandro Chagas (IEC), Pedro Vasconcelos, anuncia que a vacina contra Zika estará disponível para testes pré-clínicos (em primatas e camundongos) em novembro. O desenvolvimento da vacina é resultado de parceria firmada entre o Instituto Evandro Chagas, do Ministério da Saúde, e a Universidade Medical Branch do Texas, Estados Unidos.

  • 20Maio

    Crianças em missão contra o Zika

    O Ministério da Saúde promove em conjunto com o canal Cartoon Network América Latina ação educativa para conscientizar as crianças de toda a América latina sobre o vírus Zika. No vídeo, as crianças são convocadas, como super-heróis, para combater o mosquito Aedes aegypti.

  • 05Maio

    Bactéria é capaz de reduzir a transmissão do Zika por Aedes

    Pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) comprovaram que a bactéria Wolbachia, quando presente no mosquito Aedes aegypti, é capaz de reduzir a transmissão do vírus Zika. O estudo integra o projeto Eliminar a Dengue: Desafio Brasil, trazido ao país pela Fiocruz, analisa o uso da bactéria Wolbachia como uma alternativa natural, segura e autossustentável para o controle de dengue, chikungunya e Zika.

  • 24Abril

    Ministério da Saúde divulga primeiro balanço de casos de Zika

    O primeiro boletim epidemiológico com dados registrados do vírus Zika aponta 91.387 casos prováveis da doença em todos os estados brasileiros, entre fevereiro e o dia 2 de abril. A taxa de incidência, que considera a proporção de casos, é de 44,7 casos para cada 100 mil habitantes.

  • 16Abril

    Faxinaço #ZIKAZERO nas periferias do país

    A favela da Rocinha, no Rio de Janeiro (RJ), foi palco do início da nova etapa da mobilização contra o Aedes aegypti. O Faxinaço Zika Zero é uma parceria do Ministério da Saúde com a Central Única das Favelas (Cufa) para mobilizar os moradores das periferias de todo o país a fazerem ações para prevenir e eliminar possíveis focos do mosquito transmissor do vírus Zika, da dengue e chikungunya. A ação também foi realizada na sede da Cufa, no bairro de Madureira, e, no domingo (17), na Vila Kennedy, na Zona Oeste do Rio. As mobilizações continuam no mês de maio em comunidades de quatro capitais: Salvador (dias 7 e 8), Aracaju (dias 7 e 8), Recife (dias 21 e 22) e João Pessoa (dias 21 e 22).

  • 14Abril

    CDC reconhece relação do vírus Zika e microcefalia

    O Centro de Controle e Prevenção de Doenças Transmissíveis (CDC) dos Estados Unidos anunciou a confirmação da relação entre o Zika e a ocorrência de microcefalia em bebês cujas mães foram infectadas pelo vírus. A relação entre o Zika e a microcefalia já havia sido reconhecida e anunciada pelo governo brasileiro em novembro de 2015, quando o vírus foi identificado em amostras de sangue e tecidos de um bebê com microcefalia e também no líquido amniótico de duas gestantes.

  • 13Abril

    Curso de Zika estará disponível para profissionais estrangeiros

    Parceria entre Ministério da Saúde, Organização Mundial da Saúde e Organização Panamericana de Saúde vai garantir a tradução do curso “Zika: abordagem clínica na Atenção Básica” para as versões em inglês e espanhol. O módulo é online, gratuito e poderá ser acessado a partir de maio, por profissionais de saúde de todo o mundo.

  • 08Abril

    Mais de 34 milhões de imóveis foram visitados em março

    Na segunda fase da mobilização nacional para o combate ao mosquito Aedes aegypti, que durou o mês de março, os agentes de saúde e de endemias, com a ajuda de militares, visitaram quase 35 milhões de domicílios e prédios públicos, comerciais e industriais brasileiros. Do total de imóveis visitados, 29,2 milhões foram efetivamente vistoriados e 5,6 milhões estavam fechados ou houve recusa para o acesso. Do total, foram encontrados focos do mosquito em 912 mil unidades. Os estados que registraram maior número de visitas foram Tocantins com 98% da totalidade de imóveis visitados e Piauí com 90%.

  • 05Abril

    1º trimestre pode ser de maior risco para grávidas

    O estudo de caso-controle realizado na Paraíba mostra, preliminarmente, que mães que tiveram o vírus Zika no primeiro trimestre da gestação apresentaram maior probabilidade de terem crianças com microcefalia. O Ministério da Saúde, em pareceria com o governo da Paraíba e Centro de Controle e Prevenção de Doenças Transmissíveis (CDC) dos Estados Unidos, continua com a análise das amostras de sangue coletadas nas mães e bebês paraibanos.

  • 05Abril

    Escolas e famílias contra o mosquito

    De 5 a 9 de abril, o Ministério da Educação promove a Semana da Família na Escola. A ação envolve todos os sistemas de educação nacional no Pacto da Educação Brasileira contra o Zika, com ênfase nos 223 municípios considerados prioritários para o combate ao Aedes aegypti.

  • 04Abril

    Mais agentes de controle de endemias

    Novos critérios do Ministério da Saúde para a contratação de agentes de combate às endemias (ACE) por todos os municípios brasileiros amplia em 44% a quantidade desses profissionais que podem ser integrados com incentivo de custeio da pasta. Com o auxílio da Assistência Financeira Complementar (AFC), a capacidade de contratação destes profissionais, pelas prefeituras, passa de 62.154 para 89.708, conforme a portaria 535, publicada no Diário Oficial da União.

  • 30Março

    Crianças contra Zika

    Nova campanha do alia educação e a música no desafio de mobilizar a população, especialmente as crianças, para o combate ao Aedes aegypti e aos vírus Zika, da dengue e da chikungunya. O projeto “Crianças contra Zika” é formado por uma série de seis videoclipes, com diferentes técnicas de animação e canções elaboradas por André Abujamra, Zeca Baleiro, Hélio Ziskind, Arnaldo Antunes, Xis, Marisa Orth e Palavra Cantada, que abordam o vírus Zika e o combate ao Aedes aegypti, a fim de incentivar crianças e adultos a adotar atitudes contra o mosquito.

  • 23Março

    Mais recursos para pesquisas

    O Ministério da Saúde anuncia edital de R$ 20 milhões para seleção de pesquisas contra o Aedes aegypti e as doenças transmitidas pelo mosquito. Em quatro anos, a previsão do Ministério da Saúde é investir R$ 258 milhões em novas tecnologias. A pasta já se comprometeu com cerca de R$ 130 milhões para o desenvolvimento de vacinas, soros e estudos científicos para as doenças causadas pelo Aedes aegypti. A expectativa do governo federal é disponibilizar R$ 649 milhões para investimentos em ações de combate ao mosquito e às doenças relacionadas, diagnóstico, controle vetorial, pesquisas sobre o vírus Zika, vacinas, tratamentos e inovação em gestão de serviços de saúde, saneamento e de políticas públicas. Haverá ainda mais R$ 550 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) para o desenvolvimento, produção e comercialização de tecnologias.

  • 21Março

    Distribuição de testes rápidos de gravidez

    Reforçando a atenção e o cuidado do Governo Federal com as mulheres gestantes, o Ministério da Saúde liberou R$ 4,8 milhões para custear testes rápidos de gravidez por meio do Sistema Único de Saúde (SUS) em todo o Brasil. A ação reforça a atenção e o cuidado do Governo Federal com as mulheres gestantes que vivem nos 5.509 municípios aderidos à Estratégia Rede Cegonha. O teste rápido de gravidez é indicado para mulheres adultas, jovens e adolescentes que apresentem atraso menstrual igual ou superior a sete dias e estará disponível em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) do país.

  • 16Março

    Seleção de boas experiências de combate ao Aedes Aegypti

    O Brasil está mobilizado para o combate ao Aedes aegypti. Diferentes ações são desenvolvidas diariamente para envolver toda a população no controle do mosquito, que transmite a dengue, a chikungunya, além do vírus Zika, relacionado ao aumento de casos de microcefalia. O Ministério da Saúde quer reunir e divulgar essas experiências para que possam ser replicadas em todo o país. Para isso, lançou chamada para premiar as melhores iniciativas desenvolvidas por profissionais de saúde, prefeituras e pela sociedade civil. As inscrições dos relatos devem ser feitas até 3 de abril, no portal da Comunidade de Práticas (CdP).

  • 15Março

    Governo Federal disponibiliza R$ 10,9 milhões para acelerar diagnóstico de microcefalia

    Os ministérios da Saúde e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome vão acelerar a identificação e o diagnóstico das crianças com suspeita de microcefalia, além de garantir o encaminhamento das famílias para obtenção de benefícios assistenciais. Serão repassados aos estados R$ 2,2 mil por caso suspeito notificado para busca ativa das crianças, transporte, hospedagem e diagnóstico por imagem. A previsão é que o investimento total seja de R$ 10,9 milhões.

  • 10Março

    R$ 10 milhões para pesquisas contra o vírus Zika

    O Ministério da Saúde vai investir R$ 10,4 milhões na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) para o desenvolvimento de estudos no combate ao mosquito Aedes aegypti. Destes, R$ 4,4 milhões serão para o financiamento da vacina contra o vírus Zika. O restante, cerca de R$ 6 milhões (US$ 1,5 milhão), será destinado para projetos de cooperação bilateral para pesquisas de Zika e microcefalia entre a Fiocruz e o National Institutes of Helth (NIH) – agência de saúde do governo norte-americano. O repasse do recurso será feito por descentralização de crédito orçamentário. O investimento em novas tecnologias é um dos eixos do Plano Nacional de Enfrentamento ao Aedes aegypti e à Microcefalia.

  • 09Março

    Brasil adota recomendação da OMS e reduz medida para microcefalia

    A partir desta quarta-feira (09), o Brasil passa a adotar novos parâmetros para medir o perímetro cefálico e identificar casos suspeitos de bebês com microcefalia. Para menino, a medida será igual ou inferior a 31,9 cm e, para menina, igual ou inferior a 31,5 cm. A mudança está de acordo com a recomendação anunciada recentemente pela Organização Mundial de Saúde (OMS), e tem como objetivo padronizar as referências para todos os países, valendo para bebês nascidos com 37 ou mais semanas de gestação. A medida faz parte das adequações que estão sendo realizadas diante dos novos achados científicos, levando em consideração o aprendizado contínuo com descobertas sobre a microcefalia e sua relação com vírus Zika

  • 07Março

    Saúde na Escola mobiliza 18 milhões de estudantes no combate ao Aedes aegypti

    As escolas públicas também estão envolvidas no combate ao mosquito Aedes aegypti. De 7 a 11 de março, a Semana Saúde na Escola marca o lançamento das ações do Programa Saúde na Escola 2016. Com o tema “Comunidade Escolar Mobilizada Contra o Aedes aegypti”, a proposta tem como principal motivação a necessidade da comunidade escolar ter acesso às informações necessárias no combate ao mosquito e à adoção de práticas sanitárias e saudáveis para a manutenção do ambiente escolar e residencial, limpos e seguros. Mais de 18 milhões de educandos em 4.787 municípios estarão envolvidos em atividades com a comunidade escolar e equipes de saúde da Atenção Básica, fortalecendo a mobilização no controle do vetor. Ao todo, será disponibilizado R$ 83 milhões para as 78 mil escolas que fazem parte do Programa manter a iniciativa ao longo de 2016.

  • 01Março

    Nova caderneta da gestante orienta contra Aedes aegypti

    O Ministério da Saúde lançou a nova Caderneta da Gestante, instrumento de acompanhamento do pré-natal dirigido aos profissionais de saúde e mulheres gestantes que usam os serviços do Sistema Único de Saúde (SUS). Nesta edição, a caderneta traz, entre outras novidades, informações sobre prevenção e proteção contra o mosquito Aedes aegypti, que transmite a dengue, o chikungunya e o vírus Zika.

  • 29Fevereiro

    OMS esclarece boatos sobre Zika e microcefalia

    A Organização Mundial da Saúde (OMS) publicou nota informativa que esclarece rumores sobre o vírus Zika e a microcefalia. Entre os boatos citados estão a possível relação da malformação em decorrência do uso de vacinas, larvicidas, mosquitos geneticamente modificados, entre outros. A organização é taxativa em afirmar que não há evidências científicas que possam relacionar os casos de Zika e de microcefalia com o uso desses produtos.

  • 23 e 24Fevereiro

    Diretora-geral da OMS visita Brasil e elogia transparência e empenho do governo no combate ao Aedes aegypti

    A diretora-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Margaret Chan, esteve no Brasil nos dias 23 e 24 de fevereiro com o objetivo de compartilhar com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Organização Panamericana da Saúde (Opas) as experiências e ações integradas do governo brasileiro. No dia 23 de fevereiro, ela se encontrou com a presidenta Dilma Rousseff e participou de Reunião de Alto Nível na Sala Nacional de Coordenação e Controle. No dia seguinte, Margaret Chan esteve com o ministro da Saúde, Marcelo Castro, no Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (IMIP), em Recife (PE). Na ocasião, o ministro assinou termo de cooperação técnica de ensino com Instituto para capacitar profissionais de saúde envolvidos na atenção e cuidado dos casos de microcefalia e infecções por Zika, Dengue e Chikungunya.  Ela também visitou,  no dia 24, as instalações da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro.

  • 22Fevereiro

    Ministro da Saúde assina contrato com o Instituto Butantan para desenvolvimento da vacina da dengue

    No dia que começou a vacinação contra dengue de um grupo de voluntários, o ministro da Saúde, Marcelo Castro, assinou o contrato com o Instituto Butantan para financiamento da terceira e última fase da pesquisa clínica para a vacina da dengue. No total, o Ministério da Saúde investirá R$ 100 milhões nos próximos dois anos para o desenvolvimento do estudo. Ao todo, a previsão é um investimento de R$ 300 milhões do governo federal para os estudos do Butantan. Além dos recursos do Ministério da Saúde, estão sendo analisados outros R$ 100 milhões do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, por meio de um contrato da FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos), e R$ 100 milhões do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES). No total, 17 mil voluntários de 13 cidades nas cinco regiões do Brasil participarão dos estudos e serão vacinados durante um ano. Os resultados da pesquisa dependem de como será a circulação do vírus, mas o Butantan estima ter a vacina contra a dengue disponível em 2018.

  • 19Fevereiro

    Governo Federal mobiliza escolas para conscientização dos estudantes

    Começou no dia 19 de fevereiro uma grande mobilização nacional contra o Aedes aegypti em toda a rede escolar, envolvendo a educação infantil e ensinos fundamental, médio e superior. Ministros, governadores, secretários de educação municipais e estaduais, além de outras autoridades e militares das Forças Armadas, percorreram capitais brasileiras e 115 municípios considerados prioritários no combate ao mosquito. O Ministério da Saúde mobilizou ainda as equipes do Programa Saúde na Escola para ampliar as ações de saúde aos estudantes da rede pública. O programa está presente em mais de 78 mil escolas em 4.787 municípios brasileiros. São, atualmente, 32 mil equipes da Atenção Básica envolvidas no programa e que começaram a ser mobilizadas no dia 19.

  • 19Fevereiro

    Governo Federal mobiliza escolas para conscientização dos estudantes

    Começou no dia 19 de fevereiro uma grande mobilização nacional contra o Aedes aegypti em toda a rede escolar, envolvendo a educação infantil e ensinos fundamental, médio e superior. Ministros, governadores, secretários de educação municipais e estaduais, além de outras autoridades e militares das Forças Armadas, percorreram capitais brasileiras e 115 municípios considerados prioritários no combate ao mosquito. O Ministério da Saúde mobilizou ainda as equipes do Programa Saúde na Escola para ampliar as ações de saúde aos estudantes da rede pública. O programa está presente em mais de 78 mil escolas em 4.787 municípios brasileiros. São, atualmente, 32 mil equipes da Atenção Básica envolvidas no programa e que começaram a ser mobilizadas no dia 19.

  • 19Fevereiro

    Brasil vai desenvolver teste para detecção de Zika nas bolsas de sangue

    O Ministério da Saúde anunciou que vai incluir o vírus Zika no teste NAT, realizado nas bolsas de sangue em todo o país. Esse teste já identifica os vírus HIV, hepatite B e hepatite C para controle e segurança do sangue nos hemocentros nacionais. A ação contará com o apoio dos Estados Unidos para dar celeridade nos processos de registro e a expectativa é que o Brasil se torne um centro de referência para validação dos ensaios ou testes moleculares que tem o vírus Zika como alvo. A produção do teste NAT com a inclusão do vírus Zika será feito pelo Laboratório Biomanguinhos da Fiocruz, no Rio de Janeiro, que já detém a plataforma NAT no país. A previsão é que o teste esteja disponível nos laboratórios da rede pública de saúde até o final deste ano.

  • 18Fevereiro

    Notificação de casos pelo vírus Zika passa a ser obrigatória no Brasil

    A partir do dia 18 de fevereiro, a notificação dos casos suspeitos de Zika é obrigatória para todos dos os serviços de saúde do país. A mudança significa que todos os casos suspeitos de Zika deverão ser comunicados pelos médicos, profissionais de saúde ou responsáveis pelos estabelecimentos de saúde, públicos ou privados, às autoridades de saúde, semanalmente. Nos casos de gestantes com suspeita de infecção pelo vírus ou de óbito suspeito, a notificação será imediata, ou seja, deverá ser feita em até 24 horas. A mudança na notificação é resultado de uma análise criteriosa dos métodos de acompanhamento do vírus Zika no Brasil. Até então, a doença era monitorada por meio do sistema de vigilância sentinela para prestar apoio às medidas de prevenção à doença.

  • 16Fevereiro

    Brasil e EUA iniciam estudo na Paraíba sobre microcefalia associada ao vírus Zika

    Estudo busca estimar a proporção de recém-nascidos com microcefalia associada ao Zika, além do risco da infecção pelo vírus. Com início no dia 16 de fevereiro, o estudo de caso controle de microcefalia relacionada ao vírus Zika no Brasil conta com a participação de 17 técnicos do CDC, nove do Ministério da Saúde, além de técnicos do governo da Paraíba. No mesmo dia, a União Europeia anunciou a abertura de uma linha de crédito para pesquisa no valor de 10 milhões de euros para estudos sobre Zika. Todas as instituições do mundo poderão participar do edital que deve ser lançado no dia 15 de março.

  • 15 a 18Fevereiro

    Mutirão dá continuidade às ações de combate ao Aedes

    Cerca de 55 mil militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica vistoriaram 951.810 residências, entre 15 e 18 de fevereiro, para combater focos de proliferação do mosquito Aedes aegypti e orientar a população sobre medidas de prevenção. A ação foi realizada em 290 cidades brasileiras, nas 27 unidades da federação.

  • 13Fevereiro

    Governo Federal realiza Mobilização Nacional Zika Zero.

    Mobilização contou com a participação de 220 mil militares do Exército, Marinha e Aeronáutica. Junto com profissionais dos estados e municípios, eles foram às ruas orientar a população sobre o combate aos criadouros do mosquito transmissor da dengue, da chikungunya e do vírus Zika. O reforço das Forças Armadas atingiu 2,8 milhões de residências em 428 municípios das 27 unidades federativas. Cerca de 4 milhões de panfletos informativos foram distribuídos durante a ação. A mobilização contou com o envolvimento pessoal da presidenta Dilma Rousseff, que vistoriou casas e conversou com moradores no Rio de Janeiro, e com a participação de mais 162 representantes do governo federal em diferentes cidades. Este número envolve tanto o primeiro escalão do governo, como ministros, até chefes de autarquias e de presidentes de bancos públicos federais e de estatais.

  • 11Fevereiro

    Brasil e EUA firmam acordo para desenvolver vacina contra vírus Zika.

    Ministério da Saúde assina primeiro acordo internacional para desenvolvimento de vacina contra o vírus Zika. A pesquisa será realizada conjuntamente pelo governo brasileiro e a Universidade do Texas Medical Branch dos Estados Unidos. Para isso, serão disponibilizados pelo governo brasileiro US$ 1,9 milhão nos próximos cinco anos. De acordo com o cronograma de trabalho, a previsão é de desenvolvimento do produto em dois anos. Na ocasião, o ministro da Saúde, Marcelo Castro, também anunciou parceria entre o Ministério da Saúde, o governo do Estado da Paraíba e a agência do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos (CDC) para identificar fatores associados entre Zika e microcefalia. 

  • 03Fevereiro

    Ministério da Saúde oferece aos países do Mercosul treinamento para teste de Zika.

    A declaração ocorreu em Montevidéu, no Uruguai, durante reunião extraordinária entre os representantes de Saúde dos países do Mercosul. A capacitação será feita pelos institutos nacionais do Brasil por meio do exame PCR (Polymerase Chain Reaction). O objetivo é reforçar a capacidade de vigilância epidemiológica da região, acompanhando o comportamento do vírus e propondo ações necessárias para a proteção da população. No mês de janeiro, técnicos do Paraguai, Peru, Uruguai e Equador receberam treinamento do Instituto Evandro Chagas (IEC).

  • 02Fevereiro

    Ministério da Saúde disponibiliza um canal de comunicação (0800 645 3308) para orientar agentes de endemias, agentes de saúde e militares nas atividades de eliminação do foco.

    No mesmo dia, o Governo federal publica o decreto n° 8.662 que define ações para eliminação de focos do mosquito em órgãos públicos e o ministro da Saúde, Marcelo Castro, define agenda estratégica para desenvolvimento de pesquisas para diagnósticos, vacina e tratamento contra o vírus Zika com a secretária de Saúde dos Estados Unidos, Sylvia Burbell. 

  • 01Fevereiro

    Medida Provisória n° 712

    Governo Federal publica Medida Provisória n° 712 que autoriza entrada forçada de agentes em imóveis públicos ou particulares que estejam abandonados, ou no caso de ausência de pessoa que possa permitir o acesso ao local.

  • 29Janeiro

    Dia da Faxina

    Órgãos federais do país realizam “Dia da Faxina”. Ação faz parte da mobilização nacional para combate e prevenção ao Aedes aegypti

  • 25Janeiro

    Mobilização Militar e repelentes para Gestantes

    Ministro da Saúde anuncia mobilização de 220 mil militares das três Forças Armadas e oferta de repelentes para gestantes cadastradas no Bolsa Família.

  • 22Janeiro

    Ministro da Saúde inicia caravana de combate ao Aedes aegypti pelo Ceará e Piauí

    O ministro da Saúde, Marcelo Castro, inicia nos municípios do Crato (CE) e em Teresina (PI) a caravana de mobilização para o enfrentamento ao Aedes aegypti e à Microcefalia. No mesmo dia, Ministério da Saúde divulga que, até a presente data, 15% dos domicílios brasileiros foram visitados para controle de focos de mosquito. Esses dados passam a ser divulgados semanalmente.

  • 20Janeiro

    Ministério da Saúde amplia capacidade de testes de laboratórios nacionais

    O Ministério da Saúde anuncia distribuição de 500 mil testes para realizar o diagnóstico de PCR (biologia molecular) para o vírus Zika. Com isso, os laboratórios públicos ampliarão em 20 vezes a capacidade dos exames, passando de mil para 20 mil diagnósticos mensais. As primeiras 250 mil unidades serão entregues em fevereiro inicialmente para 27 laboratórios, sendo quatro de referência e 23 Laboratórios Centrais de Saúde Pública (LACEN). A previsão é que os outros 250 mil testes estejam disponíveis a partir do segundo semestre. No total, o Ministério da Saúde investiu R$ 6 milhões para a aquisição dos produtos.

  • 16Janeiro

    Testes para diagnóstico de Zika, chikungunya e dengue

    Ministério da Saúde encomenda 500 mil testes para diagnóstico de Zika, chikungunya e dengue

  • 15Janeiro

    Governo federal destina R$ 500 milhões extras para combate ao Aedes aegypti e a microcefalia

    A presidenta Dilma Rousseff sancionou recurso de R$ 1,27 bilhão para o desenvolvimento das ações de vigilância em saúde, incluindo o combate ao mosquito Aedes aegypti, em 2016. A este montante será adicionado R$ 600 milhões destinados à Assistência Financeira Complementar da União para os Agentes de Combate às Endemias. Para intensificar as ações e medidas de vigilância, prevenção e controle da dengue, febre chikungunya e Zika também foi aprovado R$ 500 milhões extras, sobretudo, por conta da situação de emergência em saúde pública de importância nacional que o país vive.

  • 13Janeiro

    Lançamento das diretrizes para estimulação precoce de bebês com microcefalia

    O Ministério da Saúde disponibilizou, a todos os profissionais e gestores do país, as Diretrizes de Estimulação Precoce: Crianças de 0 a 3 anos com atraso no desenvolvimento neuropsicomotor decorrente de microcefalia. São orientações aos profissionais das equipes da Atenção Básica e Atenção Especializada para a estimulação precoce. O conteúdo é direcionado às crianças com microcefalia, podendo ser aplicado ainda a outras condições ou agravos de saúde que interfiram no desenvolvimento neuropsicomotor.

  • 08Janeiro

    Plano Emergencial de Enfrentamento às doenças transmitidas pelo Aedes aegypti é lançado no Maranhão

    O estado do Maranhão lançou o Plano Emergencial de Enfrentamento às doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. Com objetivo de fortalecer a rede de assistência à saúde para o enfrentamento da dengue, chikungunya e Zika. O plano estadual visou programar ações e metas com a finalidade de interromper em curto prazo a transmissão das doenças por meio do controle do vetor.

  • 07Janeiro

    Reforço no combate ao Aedes aegypti no Mato Grosso do Sul

    Foram reforçadas, no Mato Grosso do Sul, as ações de combate ao Aedes aegypti. O Plano Emergencial de Vigilância do Combate ao Aedes aegypti no Estado do Mato Grosso do Sul previa um levantamento de focos do mosquito por região. O levantamento foi nserido no sistema e-Endemias do estado, e as informações - como dados de procedimentos de combate, controle, prevenção e redução do índice de infestação do mosquito -, serviram para nortear as ações que serão desenvolvidas em cada município.

  • 21Dezembro

    Criação da Sala Nacional de Coordenação e Controle, para o enfrentamento à Dengue, ao vírus Chikungunya e ao zika Vírus e da Microcefalia

    O Governo Federal instalou a Sala Nacional de Coordenação e Controle para o Enfrentamento à Microcefalia e à Dengue, Chikungunya e Zika, para gerenciar e monitorar a intensificação das ações de mobilização e combate ao mosquito Aedes aegypti, que transmite a dengue, a febre chikungunya e o vírus Zika, bem como a execução das ações do Plano Nacional de Enfrentamento à Microcefalia. Coordenada pelo Ministério da Saúde, a sala conta com a participação de representantes dos ministérios da Integração, da Defesa, do Desenvolvimento Social, da Educação e da Secretaria de Governo da Presidência da República, além de outros órgãos convidados. Semanalmente, a Sala Nacional articula as ações de mobilização com as Salas Estaduais, por meio de videoconferências.

  • 18Dezembro

    16 laboratórios em funcionamento para diagnostico Zika

    O Ministério da Saúde capacitou 11 laboratórios públicos para realizar o diagnóstico de Zika, além das cinco unidades referência no Brasil que já realizavam este tipo de exame. Totalizando 16 centros com o conhecimento para fazer o teste.

  • 17Dezembro

    Esclarecimentos de boatos da internet

    Para esclarecer os boatos que circularam nas redes sociais, nos aplicativos de bate-papo e informar a população, o Ministério da Saúde intensificou as ações redes. Confira a matéria publicada no Portal Saúde clicando aqui.

  • 14Dezembro

    Protocolo de Atenção à Saúde e Resposta à Ocorrência de Microcefalia Relacionada à Infecção pelo Vírus Zika

    O Ministério da Saúde lançou o Protocolo de Atenção à Saúde e Resposta à Ocorrência de Microcefalia Relacionada à Infecção pelo Vírus Zika, que orienta o atendimento desde o pré-natal até o desenvolvimento da criança com microcefalia, em todo o País. O principal objetivo do Protocolo é orientar as ações para a atenção às mulheres em idade fértil, gestantes e puérperas, submetidas ao vírus Zika, e aos nascidos com microcefalia.

  • 11Dezembro

    Envio de larvicida para os estados

    O Ministério da Saúde enviou larvicida aos estados do Nordeste e Sudeste em quantidade suficiente para tratar um volume de água equivalente a 3.560 piscinas olímpicas. As 17.9 toneladas do produto utilizado para eliminar as larvas do mosquito Aedes aegypti são suficientes para proteger 8.9 bilhões de litros de água. O larvicida é utilizado quando não é possível eliminar o foco de água parada, local de reprodução do mosquito.

  • 09Dezembro

    Reunião da presidenta Dilma Rousseff com os governadores

     

  • 08Dezembro

    Protocolo emergencial de vigilância e resposta aos casos de microcefalia relacionados à infecção pelo Zika

    Foi lançado o protocolo emergencial de vigilância e resposta aos casos de microcefalia relacionados à infecção pelo Zika com o objetivo de passar informações, orientações técnicas e diretrizes aos profissionais de saúde e equipes de vigilância. O protocolo orienta a definição de casos suspeitos de microcefalia durante a gestação, caso suspeito durante o parto ou após o nascimento, critérios para exclusão de casos suspeitos, sistema de notificação e investigação laboratorial.

  • 05Dezembro

    Lançamento do Plano Nacional de Enfrentamento à Microcefalia

    O Plano criado pelo Grupo Estratégico Interministerial de Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional e Internacional (GEI-ESPII), envolve 19 órgãos e entidades e abrange três eixos: Mobilização e Combate ao Mosquito; Atendimento às Pessoas; e Desenvolvimento Tecnológico, Educação e Pesquisa. Essas medidas emergenciais foram colocadas em prática para intensificar as ações de combate ao mosquito.

  • 04Dezembro

    Chegada das Forças Armadas em Pernambuco

     

  • 28Novembro

    Confirmação da relação entre o vírus Zika e a microcefalia

    Um exame em um bebê que faleceu pouco após o nascimento no Ceará com microcefalia e outras malformações congênitas confirmou a relação entre o vírus Zika e o surto de microcefalia. O Instituto Evandro Chagas identificou em amostras de sangue e tecidos a presença do vírus Zika. Foi uma descoberta inédita na pesquisa científica mundial e fundamental para dar continuidade aos esclarecimentos sobre questões como a transmissão desse agente, a sua atuação no organismo humano, a infecção do feto e período de maior vulnerabilidade para a gestante.

  • 18Novembro

    Formulário online notificação imediata das secretarias de saúde

    Para aumentar a eficiência da notificação dos casos de microcefalia foi disponibilizado um formulário online para o uso dos gestores e profissionais de saúde de cada estado. Foi acionado o Grupo Estratégico Interministerial de Emergência em saúde Pública de Importância Nacional e Internacional.

  • 17Novembro

    Boletim Epidemiológico de Microcefalia passa a ser divulgado semanalmente pelo Ministério da Saúde

    Divulgado o primeiro boletim epidemiológico sobre microcefalia. Até aquele momento, haviam sido notificados 399 casos da doença em recém-nascidos de sete estados da região Nordeste.

  • 13Novembro

    Primeiras orientações às gestantes

    Para o início imediato da prevenção, o Ministério da Saúde lançou uma série de recomendações para as gestantes a fim de diminuir as infecções com o Vírus Zika. Confira as orientações na matéria do Blog da Saúde clicando aqui.

  • 11Novembro

    Situação de Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional

    Diante da situação, o Ministério da Saúde declarou Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional para dar maior agilidade às investigações. O mecanismo está previsto em lei para casos de emergências em saúde pública que demandem medidas urgentes de prevenção, controle e contenção de riscos, danos e agravos à saúde pública.

  • 10Novembro

    Ativação do Centro de Operações de Emergência em Saúde (COES)

    O Ministério da Saúde ativou o Centro de Operações de Emergência em Saúde (COES), em Brasília. Um mecanismo de gestão de crise, que reúne as diversas áreas para determinar resposta ao evento de forma que o assunto seja tratado como prioridade.

  • 26Outubro

    26 de Outubro

    MS investiga casos em PE

    Ministério da Saúde envia equipe para acompanhar a investigação dos casos no estado de Pernambuco. E a situação foi comunicada à Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e Organização Mundial de Saúde (OMS).

  • 22Outubro

    Notificação e investigação dos casos de microcefalia em Pernambuco

    Imediatamente após a notificação, uma Equipe de Resposta Rápida às Emergências em Saúde Pública do Ministério da Saúde - formada inicialmente por seis profissionais epidemiologistas – viajou para Recife para apoiar as Secretarias de Saúde do estado e dos municípios nas investigações de campo. O fato também foi comunicado à Organização Mundial de Saúde e Organização Pan-americana de Saúde, conforme os protocolos internacionais de notificações de doenças.

Fim do conteúdo da página